thermometer-1539191_1920

Todo mundo já conhece os riscos que a gripe H1N1 representa. É um vírus preocupante e que merece atenção, também, dos condomínios – principalmente nas estações de outono e inverno.

O Brasil já registrou, somente em 2016, 3.978 casos de influenza A (H1N1) desde janeiro a 30 de maio. Segundo os dados do Ministério da Saúde, apenas em São Paulo foram detectadas 352 mortes por conta da doença, sendo o estado com o maior índice de casos constatados ocasionando óbito.

 

Medida

O condomínio deve realizar campanhas internas, onde é necessário incentivar os moradores a buscarem a vacinação. A publicação pode ser feita a partir de cartazes e os mesmos devem trazer as principais informações: local da vacinação, horário de atendimento e riscos à saúde.

O condomínio precisa ficar atento quanto à transmissão do distúrbio, sendo assim, é necessário realizar a limpeza do ambiente regularmente, de forma eficaz. É preciso que sejam higienizados os principais lugares com indícios de contagio, especialmente regiões em que todos os moradores transitam diariamente como áreas comuns, botões de elevadores e corrimões. O proprietário, quando gripado, deve manter-se em casa, e caso os sintomas permaneçam ou piorem deve procurar um médico.

 

Sintomas

O vírus já foi conhecido como gripe suína, contudo, atualmente, é mais usual chamá-lo de influenza A ou H1N1. O mal-estar transmite alguns sintomas parecidos com uma gripe comum, porém de uma forma muito mais agressiva. Por isso, requer atenção quanto a sua manifestação: gripe e tosse, febre alta, dor no corpo, dor de cabeça, falta de ar, diarreia e vômito. Em casos de suspeita ou constatada a doença, é importante que utilize uma máscara para proteger também as outras pessoas. A comprovação da doença pode ser realizada em uma clínica com teste laboratoriais e exames, para que, assim, o médico inicie o tratamento.

 

Como evitar o contágio

– Devem-se lavar bem as mãos com água e sabão;

– Evitar lugares aglomerados, já que a chance de transmissão é muito maior;

– Sempre ao tossir e espirrar cubra a boca e o nariz;

– Prefira lenços descartáveis para higienização do nariz;

– Evite tocar os olhos, nariz e boca, principalmente se as mãos estiverem sujas, as mesmas podem ter bactérias;

– Mantenha o ambiente sempre bem arejado;

– Se estiver doente permaneça em casa e se o sintoma persistir procure um médico.

 

O melhor remédio é a prevenção. Oriente e incentive os condôminos, e se previna da H1N1.