cables-1080569_1920

Erros, problemas e descuidos sempre acontecem com quem vive em condomínios. Mas, o que não deve acontecer são falhas que comprometa a segurança e a saúde dos condôminos, e a mesma não abale a estrutura do patrimônio.

O síndico, por estar sempre à frente no condomínio, deve ser o principal a cuidar e zelar por uma boa administração do local. Mas e quando isso não ocorre?

Manutenções e vistorias são imprescindíveis para manter tudo em ordem no edilício, entretanto, quando elas não acontecem, seja por falta de financiamento ou desinteresse, ocorre negligenciamento por parte do síndico, pois, quando a falta de preservação ou adequação de novos equipamentos é ignorada, graves problemas podem acontecer.

O resultado de negligência pode acarretar em adversidades tanto quanto danos humanos (incidentes que coloca a vida em risco) e danos materiais (prejuízos para o condômino e condomínio por ter a sua estrutura abalada).

Atitudes de vizinhos e descuido do administrador podem levar o prédio abaixo, mas, para evitar o contratempo, é necessário que o responsável se preocupe com toda e qualquer reforma, logo que o síndico pode ser incriminado judicialmente por ato de desatenção.

Atos de inadvertências podem ocorrer de diferentes maneiras, falta de fiscalização do Corpo de Bombeiros, consertos mal concretizados, manutenções realizadas fora do prazo, materiais de segurança que apresentam falhas, porteiro que facilita entrada, dentre outras práticas.

O ideal é que os condôminos fiquem atentos as ações no condomínio e cobrem respostas do representante do edilício. Se o mesmo não der esclarecimentos, estará agindo de forma negligente. Caso a situação tenha fins mais agravantes, o administrador será responsabilizado por ter ciência do fato e não tomar nenhuma iniciativa diante da mesma.