lobby-346426_1920

Você já pensou entrar em um condomínio e se deparar com um ambiente extremamente harmônico e luxuoso? Quadros, espelhos, sofás e uma decoração super moderna? Pois bem, o tema está sendo muito discutido ultimamente, já que o espaço proporciona maior conforto aos moradores que buscam gradualmente regiões com novas tecnologias e maior segurança.

Escolher a decoração das áreas comuns não é nada fácil, ainda mais se o empreendimento está passando por manutenções e a tarefa fica a par dos condôminos – caso que pode gerar total discordância. Para não errar, basta adotar o novo conceito do mercado: o luxo; territórios mais sofisticados, que vêm chamando a atenção dos compradores, contam com total facilidade e âmbitos extremamente aconchegantes.

Quem mora em condomínio sabe que, além da sacada, o que brilha aos olhos dos visitantes é a porta de entrada, ou “hall de entrada”.  A primeira impressão é a que fica. Portanto, maior tem sido o número de edifícios antigos que tem feito o retrofit ou simplesmente adotado medidas inovadores para os novos prédios – com o intuito de atrair moradores.

Para quem deseja inovar, seguir o conceito de decoração em todas as áreas comuns é de suma importância, pois não adianta investir no saguão e esquecer dos outros espaços, por isso, deve-se progredir o estilo escolhido para todo o condomínio. Vale contratar um arquiteto na hora de realizar a mobília do local, tanto para ajudar com as cores adequadas para as regiões como para os móveis.

Como os territórios são compartilhados por moradores e visitantes, é essencial manter a mesma paleta de cores para não “quebrar” o estilo, já que essa característica estabelece um ambiente equilibrado para receber os hóspedes.

Os tons claros e neutros como bege, branco, cinza, marrom e preto podem ser usados sem medo. Se o âmbito for mais tranquilo, dá para abusar das cores claras, mas se o local for uma área externa, como espaço gourmet e churrasqueira, tem que se investir em cores mais quentes e naturais, assim como em luzes de LED. Contudo, tudo depende do estilo escolhido para o embelezamento do cenário, se é clássico, vintage, contemporâneo ou moderno.

 

De acordo com o site “A Gazeta do Povo”, veja o que determina o luxo

Preço: O valor de condomínios de luxo não tende a ser baratos, alguns são tão luxuosos que passam mais de 1 milhão;

Localização: A boa localização ajuda na valorização do local, ou seja, bairros mais afastados do centro são mais difíceis de serem procurados;

Metragem: A medida da unidade, assim como os benefícios propostos para os moradores, pode determinar o alto valor do empreendimento;

Acabamento: Condomínios de luxo são, normalmente, organizados com peças e objetos de boa durabilidade e qualidade.

 

Problemas

Por conta do requinte oferecido pelo empreendimento, as taxas podem ficar “salgadas” para o bolso do comprador, pois tende a ser mais valorizado, o que aumenta a demanda de procura. Os valores também podem ser alterados se as áreas forem grandes e necessitarem de funcionários para sua manutenção – o que pode causar inadimplência.